Blogs

Quando e quem irá responsabilizar a gestão João Doria pelas mortes por Covid-19 que ocorreram na UPA Fernandópolis



Entre os dias 10 de março e 21 de abril, quando ainda havia internações por Covid-19 na UPA, Fernandópolis teve 82 mortes. 47,5% ocorreram na unidade que recebia bem menos pacientes intubados que a Santa Casa.

  • 39 mortes na UPA
  • 28 mortes na Santa Casa
  • 15 mortes em outras cidades

A partir de então a unidade 5 da Santa Casa foi arrendada pela Prefeitura de Fernandópolis, desafogando a UPA.

Já está mais que claro como a estrutura da UPA não foi suficiente para salvar dezenas de fernandopolenses.

No dia 8 de março o governador João Doria (PSDB) anunciou um hospital de campanha em Fernandópolis. Não veio.

Em 10 de março, após o início da polêmica com os leitos do hospital de campanha, foram anunciados 12 leitos de UTI e 23 de enfermaria. Nada também.

Enquanto o município foi enganado pela gestão João Doria - já que ninguém informava as lideranças com clareza se os leitos seriam instalados, ou não -, fernandopolenses morreram com falta de estrutura na UPA.

Todos que morreram lá não conseguiram vaga no sistema do governo do Estado, o tal CROSS.

Quem irá responsabilizar o governador por essas mortes sem atendimento qualificado? 

As lideranças de Fernandópolis tem uma excelente oportunidade de mostrar que se importam com as vidas que se foram por falta de atendimento qualificado. 

Com a palavra, nossas autoridades.


30 Segundos

Notas rápidas sobre os acontecimentos mais relevantes da política local e nacional.

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.