Tecnologia

Procon-SP multa Facebook em R$ 11 milhões por apagão no WhatsApp



O Procon-SP afirma ter multado o Facebook em mais de R$ 11 milhões por causa do apagão global do WhatsApp ocorrido em outubro deste ano. No Brasil, o aplicativo de mensagens ficou fora do ar por mais de sete horas. O órgão acusa a empresa de má prestação de serviço.

O valor exato da punição aplicada é de R$ 11.286.557,54. A empresa, que mudou seu nome para Meta, ainda tem direito de se defender.

"Houve clara falha na prestação do serviço, prejudicando milhões de consumidores no Brasil e no mundo. Embora o serviço não seja cobrado, a empresa lucra com os usuários, logo, há relação de consumo", afirma Fernando Capez, diretor do Procon-SP.

Segundo o órgão, o apagão de outubro deste ano afetou mais de 91 mil consumidores brasileiros do Facebook, mais de 90 mil do Instagram e mais de 156 mil do Whatsapp.

O Procon-SP também diz ter identificado cláusulas abusivas nos termos de uso dos aplicativos controlados pela Meta, como a que prevê a possibilidade de alteração unilateral do contrato por parte da empresa.

No dia seguinte ao apagão, o órgão paulista chegou a afirmar que apenas um "evento muito forte", como um terremoto, poderia isentar o WhatsApp de responsabilidade pelos prejuízos causados.

Na ocasião, a plataforma afirmou que a falha foi causada por um erro ocorrido durante uma mudança em suas configurações.

O problema teria ocorrido durante uma mudança numa estrutura que coordena o tráfego entre seus centros de dados, o que gerou um efeito cascata que interrompeu a comunicação e fez com que outros centros fossem afetados, causando o apagão.

"A causa dessa interrupção também afetou muitas ferramentas e sistemas que utilizamos em nossas operações diárias, complicando nossas tentativas de diagnosticar e resolver o problema rapidamente", informou a plataforma.

A rede afirmou ainda que não havia evidências de vazamentos de dados durante o apagão, mas não divulgou quantos dos mais de 2,7 bilhões de usuários de aplicativos do grupo foram afetados.


RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.

Mais sobre Tecnologia