Direito

Pela lei, ninguém é obrigado a fornecer senha de celular à polícia, afirma advogado

Para o advogado criminalista Luiz Augusto Filizzola D'Urso, do escritório D'Urso e Borges Advogados Associados, a decisão, proferida em fevereiro pelo STJ, deve servir de parâmetro para todos os casos nos quais o acesso aos celulares não autorizado judicialmente tenha ocorrido.

Pela lei, ninguém é obrigado a fornecer senha de celular à polícia, afirma advogado

A 5ª turma do STJ reconheceu, por unanimidade, a ilegalidade de provas obtidas pela polícia sem autorização judicial através de mensagens do WhatsApp. O colegiado determinou a retirada do material de um processo penal que apura suposta prática de tentativa de furto.

Ao analisar o caso, o relator do RHC 89.981, ministro Reynaldo Soares da Fonseca, pontuou que, embora a situação discutida nos autos não trate da violação da garantia de inviolabilidade das comunicações, prevista no artigo 5º, inciso XII, da CF/88, houve efetivamente a violação dos dados armazenados no celular de um dos acusados, o que é vedado pelo inciso X do artigo 5º.

Para o advogado criminalista Luiz Augusto Filizzola D'Urso, do escritório D'Urso e Borges Advogados Associados, a decisão, proferida em fevereiro pelo STJ, deve servir de parâmetro para todos os casos nos quais o acesso aos celulares não autorizado judicialmente tenha ocorrido.

O advogado sustenta que o acesso indevido ao conteúdo das mensagens para a obtenção de provas não pode ocorrer e, por isso, "caso ocorra, essa prova colhida deve ser tratada como ilegal".

De acordo com o causídico, essa decisão demonstra a proteção constitucional às garantias individuais, protegendo o conteúdo dos dispositivos móveis, e que, por isso, "pela lei, ninguém é obrigado a fornecer a senha de seu celular à polícia, em uma eventual abordagem".

"Esta decisão demonstra, mais uma vez, que a nossa Constituição Federal é a guardiã de nossas garantias individuais e, por conseguinte, protege o conteúdo de nossos celulares, salvo em casos de autorização judicial. Portanto, pela lei, ninguém é obrigado a fornecer a senha de seu celular à polícia, em uma eventual abordagem."


Mais notícias sobre Direito

Direito

Vendedor denunciado por contrabando de cigarros é condenado a mais de sete anos de prisão em Jales

A Justiça Federal condenou um vendedor de Uberaba (MG) flagrado em fevereiro...


Direito

JUSTIÇA FEDERAL DE JALES CONDENA QUATRO POR FRAUDES NO FGTS

Quatro pessoas foram condenadas pela Justiça Federal de Jales por saques fraudulentos de...


Direito

Jales - Três anos mais tarde Justiça de Jales condena envolvidos nos desvios do Hospital de Câncer

Operação Corrente do Bem – PF Jales/SP - Justiça Estadual condena os...

Direito

Claro terá que pagar R$ 40 mil de indenização por ligar mais de 10 vezes por dia

A Claro também foi sentenciada a pagar R$ 500 por cada ligação adicional...