Saúde

Nova fase do Corujão da Saúde terá 51 mil atendimentos em oftalmologia



 

População terá acesso a consultas, exames e cirurgias; expectativa é zerar fila de Oftalmologia dos Ambulatórios Médicos de Especialidades. O Governador João Doria anunciou nesta quarta-feira (20) uma nova fase do Corujão da Saúde, com foco em Oftalmologia. Serão oferecidos à população cerca de 51 mil procedimentos entre consultas, exames e cirurgias, em um investimento de R$ 14 milhões do Governo de SP. O início do programa está previsto já para essa quinta-feira (21) em todo estado.

“São Paulo inicia uma nova etapa do Corujão da Saúde, o vitorioso e inovador programa de saúde pública do Governo do Estado, programando 51 mil procedimentos oftalmológicos”, destacou Doria. “O Corujão da Saúde foi retomado no mês de outubro e o Governo de SP vai prosseguir com o Corujão todos os meses no atendimento à população, principalmente a população mais vulnerável”, completou.

A medida visa zerar a demanda reprimida de procedimentos oftalmológicos dos Ambulatórios Médicos de Especialidades (AMEs) que foram cadastrados pelos municípios na Cross (Central de Regulação e Oferta de Serviços de Saúde) até o último dia 20 de setembro. Serão ofertados 23.112 exames de dez tipos diferentes, 16.077 cirurgias de catarata e retina e 11.794 consultas médicas.

Os procedimentos serão realizados em 46 AMEs de todas as regiões do estado e em 10 hospitais da rede da Secretaria de Estado da Saúde. Estes serviços irão oferecer agendas extras em horários alternativos para zerar a demanda reprimida.

A expansão é possível graças à queda dos atendimentos por Covid-19 e ao avanço da vacinação em SP. “O objetivo do Governo de SP é zerar a fila de oftalmologia dos AMEs até dezembro deste ano. É um investimento importante em Saúde, priorizando atendimentos especializados e beneficiando todas as regiões”, destacou o Secretário de Estado da Saúde, Jean Gorinchteyn.

Corujão da Saúde

No último mês, o Governo de SP anunciou a retomada do Corujão, com foco em Oncologia. O objetivo é agilizar o diagnóstico e tratamento de pacientes com câncer e realizar 335 mil exames, além de 19 mil sessões de radioterapia.

Os atendimentos começaram no dia 1º de outubro e já foram realizados 16 mil exames e cerca de 750 sessões radioterápicas. O chamamento público teve participação de 92 serviços da rede privada entre eles Instituto Israelita Albert Einstein, Sírio Libanês, Beneficência Portuguesa, Hospital Santa Catarina, HCor, entre outros.

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais sobre Saúde