Direito

Grávida agredida por PM em Rio Preto vai ao Tribunal de Justiça contra Doria



A jovem agredida por policial militar no bairro Santo Antônio, em Rio Preto, em fevereiro de 2020, entrou com recurso em ação que move contra o governador João Doria (PSDB). Isabela Sabino de Souza, que à época estava grávida, foi agredida após filmar policiais abordarem um adolescente por suspeita de tráfico de drogas. O governador, no entanto, disse no Twitter que Isabela resistiu à prisão por tráfico de drogas, o que não ocorreu. 

Isabela entrou com ação contra o tucano e pediu R$ 100 mil. Posteriormente, Isabela pediu R$ 522 mil por dano moral contra o atual governador de São Paulo. A ação foi julgada improcedente. Segundo a juíza, Luciana Conti Puia Todorov, da 3ª Vara Cível de Rio Preto, Doria não citou o nome de Isabela na postagem e, mesmo publicando uma informação incorreta, posteriormente corrigiu em nova postagem. A ação foi remetida ao Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) nesta quinta-feira (28).

Soldado da Policia Militar agrediu Isabela porque ela filmou uma abordagem a um adolescente suspeito de tráfico de drogas, em Rio Preto. Um segundo vídeo que circulou em todo Brasil mostra a jovem deitada e um policial com o joelho acima da barriga dela, enquanto os moradores pedem para o PM parar com a agressão porque a jovem estava grávida. 

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais sobre Direito