Meio Ambiente

Destruição da Amazônia afeta diretamente o clima de Fernandópolis e região



A destruição contínua da Amazônia, aliada a crise climática global, pode deixar milhões de brasileiros vivendo sob calor intenso, com sensações térmicas que podem superar se aproximar ou superar os 34º C —na sombra.

Uma nova pesquisa publicada na revista Communications Earth & Environment (do grupo Nature), na manhã desta sexta, 1º, chegou a essa conclusão aplicando modelos matemáticos para a situação climática brasileira.

Apesar da distância da floresta para a nossa região, o cenário descrito acima tem impacto direto no nosso clima, especialmente no ciclo das chuvas. A maior estiagem dos últimos anos já é um sinal de como a destruição da Amazônia afeta nossas vidas.

Os rios voadores, como são chamados os deslocamentos de água atmosféricos provenientes da Amazônia, são formados por massas de ar carregadas de vapor de água, muitas vezes acompanhados por nuvens, e são propelidos pelos ventos.

Essas correntes de ar invisíveis passam em cima das nossas cabeças carregando umidade da Bacia Amazônica para o Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil.

Sem a floresta, praticamente todo o país teria um clima semiárido, com chuvas escassas, raramente mais intensas, porém, associadas à temporais.

RECEBA NOTÍCIAS NO SEU WHATSAPP!
Receba gratuitamente uma seleção com as principais notícias do dia.


Mais sobre Meio Ambiente